Resenha Nacional

[Resenha] Dezesseis: A Estrada da Morte - Simone Pesci

domingo, abril 24, 2016

Hi guys!!!

Já tem um tempinho, né?! A gente as vezes passa por uma temporadas tempestuosas né?!
Mas, sem mais delongas, hoje trago para vocês um livro que já vem com cheirinho de nostalgia (pelo menos para mim), Dezesseis: A Estrada da Morta da nossa super parceira Simone Pesci e lançado pela Tribo das Letras é daqueles livros que você tem certeza que quer ler só de ler a sinopse e olhar a capa (linda). Vamos lá embarcar nessa linda estória?


Livro: Dezesseis - A Estrada da Morte
Autora: Simone Pesci
Gênero: Romance
Editora: Tribo das Letras
ISBN: 978-85-5560-010-4
Ano: 2015
Páginas: 318

Sinopse

João Roberto, conhecido por todos como Johnny — O Rei dos Pegas — acabara de completar “Dezesseis”. Estereotipado como “rebelde sem causa”, levava uma vida desregrada, ao lado dos amigos, mostrando-se o cara legal e o maioral. Desejado por muitas garotas, sempre vencia os rachas que participava. Porém, ele não contava com um sobressalto do destino... Assim, apaixonou-se por Ana Cláudia, uma linda e doce garota que se tornaria sua salvação, bem como sua perdição. Dentre tantos conflitos e percalços para ficar ao lado de seu grande amor, Johnny entra de cabeça em uma disputa com destino à estrada da morte. 

Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira 

Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras. 


Nota da Colunista:
Se você juntou minha dica de nostalgia, com o título de livro Dezesseis e já descobriu (ou sabe) que o livro tem algo a ver com a célebre música Dezesseis da banda Legião Urbana, lhe respondo, sim você acertou. Mas não se engane ou ache que o livro é um clichê, o livro da Simone é muito mais que isso.

Como fã de literatura e de música tem algumas músicas que escuto e penso: "daria um belo filme ou livro", assim como imagino alguns livros virando filme. O legião tem várias músicas que sempre disse que dariam grandes filmes (ou livros) para desenvolver mais as sua estórias, como: Faroeste Caboclo, Dezesseis e Eduardo e Monica. E a Simone realizou um desses meus sonhos, com um livro lindo e polarizado, ao mesmo tempo fiel a canção do Legião e diferente de uma maneira muito criativa. Me atrevo a dizer que acrescentando em alguns pontos, não que falte algo na música mas para o livro foram acréscimos bem pertinentes.


João Roberto ou Johnny é o típico bad boy (quem não ama os bad boys), adorava rachas, viver perigosamente, era um bon vivant nato, até conhecer Ana Cláudia e decidir que a vida valia mais que correr para o nada... ou brigar por tudo.


Nota da Colunista:
Simone moçoila, próxima vez que você for me mandar um livro, avisa que tenho que ter uma caixa de lenços perto, porque...por favor...

O relacionamento de Johnny e Ana tem muitos alto e baixos, muitas idas e vindas. Muitos questionamentos e muitos "e se"...


Nota da Colunista:
Pode um amor mudar uma existência? A gente pode mudar outras pessoas ou essas mudanças tem que partir de cada pessoa? O amor salva? Muda? Constrói? Destrói?

Se tem algo que percebi com a leitura desse livro é que a mudança tem que partira da gente, sem pressão, quando a mudança parte por causa de outro é exigência, obrigação, e cansa com o tempo. Com uma narrativa linda cheia de curvas como as estradas que Johnny percorre, cheia de melodia como a música do Legião e amor, como só os casais apaixonados sabem transmitir; Simone nos conduz a essa linda estória de amor, mudanças, fins e recomeços...

Super, super indico a leitura dessa obra maravilhosa, Simone encontra emoções, nuances e "sombras" nesse livro lindo, vale a pena conferir.

Onde comprar:

Book Trailer:



Postagens Relacionadas

3 comentários

  1. Meu Deus! Que alegria saber que você curtiu, moçoila. \o/\o/\o/ Infelizmente muitos não entendem o real propósito da trama, ou seja, um enredo que é narrado por adolescentes a flor da pele num curtíssimo prazo de tempo, onde os acontecimentos são em velocidade luz e para um questionamento interno que demonstra o quão nossas atitudes nos levam às consequências. O propósito real de Dezesseis sempre foi mostrar o porquê e por quem (?) o coração do Johnny foi partido, levando-o a cometer tal ato na "curva do Diabo". Alguns esperam rachas e tudo mais, mas essa nunca foi a ideia. Por fim, num dia como hoje, em que meu coração está nublado pela perda do meu amigão, o meu cachorro Bob, eis uma grande alegria e acalento para minha alma. Rosacarla, muito obrigada por dispor do seu tempo para/com a leitura. S2

    Abraços mega literários,

    Simone Pesci

    http://simonepesci.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhh adorei a resenha.
    Que bom que vc curtiu. Eu já sou uma mega fã da Si e uma das autoras nacionais que mais admiro.

    E sim, se você ainda não leu o primeiro livro dela, caso ela não te avise, eu aviso: - continue mantendo a caixa de lenços por perto kkkkk.

    Essa história quebra mesmo com nosso coração né? Mesmo sabendo o que irá acontecer, já que Dezesseis é muito fiel a música, nosso coração se quebra quando realmente chegamos as vias de fato. Conhecer os fatos não minimiza o que sentimos.

    Beijos
    Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer (sua linda),

      Obrigada pela força de sempre! S2

      Ter leitores(as) como vocês é me deleitar em plena alegria. \o/\o/\o/

      Beijossssss meninas

      Simone Pesci

      http://simonepesci.blogspot.com.br/

      Excluir

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter